Outros truques (resumo) – Parte II

4. “Tem que ser fé”
Aqui, o neo-ateu dirá que a idéia de Deus é irracional, ilógica, contrária as evidências e que o único modo de ter crença nele é por fé. Dessa forma, ele não tem crença e tira sarro dos que possuem.A artimanha, de cara, começa confundindo fé com fé cega. Conforme expliquei nesse artigo [Link quebrado], fé cega é a confiança irrestrita e que vai até mesmo contra evidências cabais. Muitas mães e parentes de criminosos continuam achando que eles são inocentes mesmo depois de gravações e vídeos que provam o contrário. Isso seria uma fé cega por parte delas. Já a fé é a CONFIANÇA (sadia) que temos em algo/alguém. Por exemplo: nós temos confiança que, se largamos uma pedra a 2 metros do chão, ela vai cair, por já termos feito isso muitas vezes antes. E da mesma forma alguém pode experimentar Deus no seu dia-a-dia, criando confiança que aquela forma utilizada lhe demonstrou que Deus existe e que essa é a forma correta de se aproximar dele.

Mas essa relação é a única forma de saber que Deus existe? De forma alguma. Existem bons argumentos lógicos para a existência de Deus que podem embasar uma crença. Sendo que justamente a posição “Deus não existe”, ao contrário, não apresenta grandes ou numerosas justificativas na história da Filosofia. Se ele quiser dizer que é irracional e ilógico, ele deve DEMONSTRAR que todos argumentos a favor de Deus são necessariamente falsos e apresentar vários argumentos contra que são necessariamente verdadeiros. Caso contrário, sua idéia de “é irracional” será apenas jogo para a torcida. Hm… será que ele consegue?

Uma simulação de debate:

  • NEO-ATEU: Só quero uma coisa admitam uma coisa: vocês só acreditam que Deus existe por fé. Não existem argumentos, não tentem inventar justificativas racionais. Para acreditar em Deus tem que ser fé, por isso não acredito.
  • REFUTADOR: Mentira. A fé é somente uma parte, mas não implica que é necessariamente a totalidade de qualquer crença em Deus. Existem vários argumentos para a existência de Deus e você deve lidar com eles para dizer que justificativas racionais não são válidas.
  • NEO-ATEU: Mas é impossível conhecer Deus por argumentos. Então você só pode ter FÉ.
  • REFUTADOR: Essa é a SUA opinião. Eu posso utilizar muito bem achar que os argumentos estão de acordos com meus parâmetros epistemológicos (como a lógica, plausibilidade empírica, etc). Se você adota um ceticismo pirrônico, problema seu.

E assim vai.

5. Imagem e semelhança de Deus

Muitos neo-ateus fazem uma confusão sobre aspectos básicos do que os teístas acreditam por Deus. Nesse erro (ou fraude), eles atacarão uma visão de que Deus é um ser FÍSICO, com sua aparência sendo a de um humano. Justificativa? A frase bíblica de que o homem foi feito “à imagem e semelhança de Deus”.

Ok, temos essa frase. Mas isso significa que Deus tem um corpo humano? Nem tão rápido. Conforme o comentário de São Tomás de Aquino na Suma Teológica:

É dito que o homem foi feito à imagem de Deus não em relação ao seu corpo, mas em relação à aquilo no qual ele se destaca sobre os outros animais.  Por isso, quando é dito que, “Vamos fazer o homem à nossa imagem e semelhança”, é adicionado “E vamos o deixar dominar sobre os peixes do mar” (Genesis 1:26). O homem se destaca sobre todos os animais pela sua razão e inteligência; de tal forma que é de acordo com sua inteligência e razão, que são incorpóreas, que É dito que o homem foi feito à imagem de Deus. (Suma, Q. 3. P. 1, R.2)

E é essa a interpretação mais razoável de acordo tanto com a filosofia natural como com a teologia bíblica. Se fosse à semelhança física, como Deus teria feito tanto o homem quanto a mulher à sua imagem (“E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gn 1: 27)?  A imagem e semelhança de Deus com os homens se deve ao fato de que, assim como Deus seria, seres humanos são seres racionais, pessoais, dotados de consciência, intencionalidade e de faculdades cognitivas confiáveis. Inclusive essa idéia da confiabilidade da nossa percepção é usada por filósofos como Alvin Plantinga para confrontar a compatibilidade entre evolução e naturalismo (mas essa discussão é matéria para outro post). Então ninguém precisa se comprometer com a idéia de que Deus é físico. Na verdade, um teísta normalmente vai defender a posição CONTRÁRIA.

Uma refutação poderia ir assim:

  • NEO-ATEU: Teístas são estúpidos pois acreditam que um ser humano velho e de barba nos criou kakakakakakakaka
  • REFUTADOR: Mas hein? Quem falou em Deus como um ser humano e físico?
  • NEO-ATEU: A própria Bíblia. Você não vê que ela diz que “o homem foi feito à imagem de Deus”? Ora, só pode ser que Deus tem um corpo humano e FÍSICO.
  • REFUTADOR: Nada disso. A imagem e semelhança podem se referir ao fato de que, ao contrário dos outros animais, o homem é um ser racional e pessoal, assim como Deus seria. A semelhança se dá pelo aspecto qualitativo em relação a OUTRAS características, não a constituição física, que não são as únicas existentes para comparar dois seres ou objetos. Capisce?

Dito isso, é só não deixar ele escapar com outras fraudes (veja algumas outras que ele pode falar sobre a Bíblia aqui).

6. Surdez Crônica/Ignorância seletiva:

Esse estratagema é uma forma de esquiva. Nele, o neo-ateu vai IGNORAR na cara dura as evidências, negando-as sem comentar ou ignorar seletivamente partes que ele não sabe responder para continuar incomodando.

Craig está certo. Ao debater, você verá que isso eventualmente acontece. Se ele disser que “não há evidências”, temos essa dica. Se ele falar que estão errados, mande ele mostrar com CLAREZA o erro (que deverá ou estar nas premissas do argumento ou no fato que das premissas não segue a conclusão). Se ele ignorar, pressione para responder de fato o que ele deixa de lado.

Sugiro seguir a política de tolerância zero descrita por Luciano Ayan. Não quis enfrentar os argumentos? Ficou só debochando? Não perca tempo. Dê um chute na bunda e livre-se do troll. Fim de papo.

Anúncios